Igreja do Senhor Fonte da Vida

O «Senhor Fonte da Vida» é Jesus. Por várias ocasiões Jesus Se apresentou como a Fonte da Vida ou até a Vida: «Eu sou a Vida».

Para conhecer a história desta Igreja, vá ao início da nossa página e clique em HISTÓRIA

Embora esteja aberta todos os Sábados e Domingos, só há «Festa» no primeiro Domingo de Julho (e nos dois dias anteriores). Dizem-me que «antigamente era uma festa muito grande». Sempre a conheci muito pequena, embora com algumas ondulações.

Actualmente está muito reduzida:

  • Na Sexta-feira, Eucaristia, à tardinha.
  • No Sábado, a mesma coisa, embora mais participada, mesmo por pessoas das Paróquias vizinhas.
  • No Domingo de manhã celebramos uma Eucaristia mais solene, durante a qual os Adolescentes do 8º ano da Catequese Paroquial celebram a «Festa da Vida».

No mesmo dia, à tarde, há Sermão e um tempo de Oração. Já vi coreografias religiosas nas Eucaristias dos três dias: na Sexta, orientadas para a vida das plantas; no Sábado, para a vida dos animais; e no Domingo, para a vida do Homem… Já vi a Eucaristia do Domingo ter uma entrada solene com os do 8º ano e seus pais a segurarem uma árvore (Cristo-Árvore da Vida) com os seus nomes inscritos… Já vi a Capela-Mor cheia de vasos de plantas que, no final do Domingo eram leiloados… Já vi, no domingo à tarde, o recinto cheio de gente grande e pequena a cantar ao desafio… Já vi artistas populares a cantar, no Sábado à noite, junto a uma velha tasca, donde saíam travessas de sardinhas assadas e canecas de vinho em todas as direcções… Sei que não era tudo religião, mas acho que só lhes fazia bem…

Todos os anos se celebra nesta igreja a liturgia própria da SEXTA-FEIRA SANTA, às 20 horas (Liturgia da Palavra, Adoração da Santa Cruz e Sagrada Comunhão). Muito concorrida.

No final, às 21 horas, inicia a Via-Sacra, percorrendo as 14 Estações até ao Santuário da Franqueira, pelas 22 horas. Há noivos que, apesar da frieza geral actual do templo, o escolhem para a celebração do Matrimónio.

É desejado para «Encontros de Coros» por causa das muito boas condições acústicas. Suponho que dentro de um ano, com a ajuda da Câmara, o recinto irá estar todo restaurado e alindado.

Não demorará muito a restaurar o telhado da igreja. Vai demorar mais a restaurar a talha do Altar-Mor e o Coro, mas ainda espero ver isso. Não faltam projectos, a nível da Câmara, da Paróquia e das diversas Juntas de Freguesia para um arranjo geral de todo o conjunto: esta igreja com as respectivas capelinhas, o Castelo de Faria, os Moinhos e a Franqueira. Assim seja.

Esta é a imagem central da Igreja: Jesus que entrega a Sua vida ao Pai para que todos os homens tenham a vida eterna.

Ainda há bastantes romeiros que a Ele se dirigem em ocasiões desesperadas da vida. Muitos deixaram lá ex-votos de várias espécies. Têm valor especial algumas pinturas antigas com a pessoa enferma, num gesto de gratidão ao Autor da Vida. 

Como pode ver na secção de história, esta Igreja fazia parte de um Convento, com a respectiva Quinta. Actualmente, a Quinta e o Convento são propriedade particular: a Quinta produz vinho verde e o Convento está aberto ao Turismo Rural, como pode ver no site: http://www.quintadafranqueira.com/